segunda-feira, 9 de julho de 2012

Novelas addicted !


Pois é eu confesso, estava agora a ver a novela da noite (passando a publicidade, Louco Amor da TVI), e pensei, meu deus, eu sou viciada em novelas! 

Já lá vão cerca de cerca de 13 anos, mais de metade da vida foi passada a assistir novelas.

Há sempre umas que nos marcam mais que outras, e afinal, depois de tantas maratonas de telenovelas, há outras que ainda sabemos o nome e alguns de autores e outras que nem sequer nos lembramos que existiu! 

Recordo-me da primeira que assisti integralmente, "Todo o tempo do mundo", em 1999, onde o grande Rui de Carvalho participava, sinceramente da história em si não me recordo, apenas tenho a lembrança de um um cenário, onde o Manuel Cavaco aparecia muitas vezes, um jardim, com os seus passarinhos. Não consigo explicar as razões, mas foi uma novela que me marcou. 


Foi a segunda novela a ser transmitida pela TVI.

Depois seguiu-se a maravilhosa história produzida pela Globo, "Mulheres apaixonadas", transmitida pela SIC. Mais uma que me marcou, pela história das mulheres, todos os dramas que viveram, tudo o que tiveram por que passar para superarem e voltarem a encontrar a felicidade, foi uma história que talvez me fez ver que o mundo não era tão cor de rosa quanto eu pensava. 


Este era o genérico.


Depois voltei-me novamente para as novelas da TVI, afinal devemos ver o que é nosso. E dar importância ao que é feito no nosso país. 

Seguiram-se grandes sucessos como "Jardins Proibidos", onde podemos ver a pequena Vera Kolodzig e o pequeno Pedro Granger, que hoje são grandes actores. "Olhos de água", a celebre história das gémeas, interpretadas pela Sofia Alves, que são separadas à nascença. 
Ao contrário da maior parte dos portugueses, "Anjo Selvagem" não fez as minhas delicias, confesso que não me cativou muito, mas ao menos lançou para o panorama nacional belíssimos actores como Paula Neves e José Carlos Pereira. 
Em 2002, à semelhança do que aconteceu com "Mulheres Apaixonadas", a novela que me prendeu foi a "Sonhos Traídos", uma história de quatro irmãs que de repente se viram obrigadas a vir para Portugal, quando o pai morre e as deixa com dívidas, lembro-me que gostei imenso da história, e tenho pena que algumas das actrizes principais nunca mais tenham tido um papel de grande importância. 

Os anos foram passando, e o meu entusiasmo pelas histórias portuguesas não perdeu o folgor, continuei a ser uma espectadora assídua do que por cá se fazia. 

Em 2005 recordo-me da novela "Baía das mulheres", o que me leva a concluir, que as novelas que mais me prendem ao ecrã, são as que têm personagens principais com problemas, porque afinal "um amor e uma cabana" não existe, nem mesmo em ficção. 
Desta história lembro-me bem do drama da Barbara Norton de Matos em engravidar, e de tudo o que sofreu para o conseguir, ao lado do marido José Carlos Pereira. 


Também em 2005 surge a novela "Ninguem como tu", que ficou conhecida como a novela "quem matou o António", nesta novela penso que foi quando se deu o boom das novelas da TVI, toda a gente falava quem teria morto o Antório (protagonizado pelo Nuno Homem de Sá, actor que eu aprecio) e apartir daí, foram sempre as tramas de suspense que foram conquistando tudo e todos.

Em 2006 surge a "Doce Fugitiva", onde a Rita Pereira dava sinais do seu enorme talento enquanto actriz depois de ter surgido em Morangos com Açúcar. A eterna estrelinha, foi uma história que fala da freira falsa (Rita Pereira) que se mudou para a casa do Rodrigo Menezes, acabou por viver um romance com este, terminando a novela no estádio do Sporting, gostei.

Os anos passam, e com o passar da idade as memórias estão mais presentes, entre "Ilha do amores", "Fascínios", "A outra", "Feitiço de amor", entre muitas outras.

É claro que não podia deixar passar a primeira novela portuguesa a ganhar um emmy, "Meu Amor", que estreou em 2009, foi mais uma das novelas que me cativou. A doce e querida Mel, e a malvada da irmã! Mais uma vez uma história onde o futuro cor de rosa não existe.

 


Agora mais recente, não posso deixar passar em branco "Espirito Indomável", onde a Vera Kolodzig voltou a mostrar que está pronta para qualquer papel, na sua incrivel Zé. Mais uma história de encontros e desencontros entre os eternos rivais, e a coitada Sofia Nicholson no meio de todo aquele aparato, a viver uma infelicidade por causa do marido que não amava. De salientar que também gostei muito de ver o João Catarré num estilo bad boy! 

A ultima a terminar, "Anjo Meu", novela inovadora que retrata os anos 80, com a Alexandra Lencastre a sofrer horrores, gostei porque retratou uma época que eu não vivi, e que agora pude ver o que se passava na altura. 



Das três novelas que estão agora em exibição, "Remédio Santo", a história dos acontecimentos estranhos, da morte e da Santinha da luz, é a próxima a acabar, não é das novelas que mais me cativou, mas não desgosto. 

Em "Doce Tentação" é claro que o destaque vai para a enorme Carla Andrino, com a sua Manuela, e a sua frase de eleição, "Isso tem uma importââância", a melhor dia que se via à muito tempo na televisão! Se não fosse ela a novela não seria a mesma coisa! Que nos faz rir, e descomprimir de tudo o resto. 

Por ultimo, a ultima novela a estrear, "Louco amor", onde o "pequeno" David Carreira mostra que é um bom actor, ao lado de um Luís Esparteiro vilão, e de uma Fernanda Serrano retornada, sendo que esta é a segunda novela que ela faz depois de sofrer de cancro. 

Por agora, vou seguindo as três, e confesso que passo bem sem as ver por um dia, mas não sou capaz de ocupar todo o tempo que elas ocupam a ver outras coisas, embora goste muito de séries e filmes, aquelas são as horas dedicadas às novelas. 
 

Sem comentários:

Enviar um comentário

NEW SEASON

A imagem fala por si. É mais ou menos isto! O verão já lá foi, já apetece vestir roupa mais quentinha, passar um fim de semana a ver f...