domingo, 26 de janeiro de 2014

Farta de ouvir falar de Praxes.

Isto são reportagens, textos no facebook, textos em blog. Enfim, por todo o lado e mais algum se fala de praxe, e coisas afins. 
E como já estou a ficar um pouco saturada do assunto, sim porque o que aconteceu no meco foi uma tragédia, mas chega. A tragédia poderá estar ligada à praxe académica, mas calma. Há praxes e praxes. Há academistas e academistas. Foi uma tragédia é verdade, mas não venham agora por tudo no mesmo saco, e ah e tal deviam acabar com as praxes e ponto final. 

Este é um tema muito controverso, sempre o foi, e sempre o será. Sempre haverão os defensores e os atacantes, como em tudo na vida. 

Só tenho pena, que nas universidades em que se pratica boa praxe académica, onde são respeitadas regras, onde não se humilha e onde há realmente integração, venham a sofrer com isso. Porque uns marmanjos se lembraram de fazer merda. 

Eu já aqui disse várias vezes. Eu fui praxada, praxei. E gostei. 
Porque quando a praxe é feita com regras, sem humilhação, com diversão, é sim uma maneira de integração. É uma maneira de fazer amizades. É uma maneira de conhecer pessoas novas. 

É claro que há sempre alguém que se aproveita do poder que tem (o que acha que tem) para mostrar que manda, e para sentir aquela sede de poder. Mas nesse caso, e no meu entender, parte de quem está do outro lado, impor um basta. Dizer, chega. Não faço isso. 
Porque ninguém é obrigado a estar em praxe. E quando há algo que não concordas, existe uma coisa muito simples, chamada "levantar, virar as costas e ir embora". Porque só está em praxe quem quer

E pronto foi o meu pequeno comentário sobre o assunto. 
E mais não digo. 

Sem comentários:

Enviar um comentário

NEW SEASON

A imagem fala por si. É mais ou menos isto! O verão já lá foi, já apetece vestir roupa mais quentinha, passar um fim de semana a ver f...